Cipriano Mutota expõe Armando Guebuza e PR Nyusi ao “PIOR”

Oh, Mutota, que quê isso?

Para um julgamento que começou ontem, não se esperava tamanha revelação.

Para além de se ter cumprido a exigência colocada pelo juiz da causa, dívidas ocultas, Efigénio José Baptista, os arguidos se apresentarem ao tribunal com uniforme penitenciário, Cipriano Mutota, aproveitou ainda nesta audição do dia 24 de Agosto incluir duas figuras importantes na história de Moçambique, isto é, Presidente da República, Armando Guebuza e do actual, Filipe Nyusi que, na qualidade de Ministro da Defesa Nacional, chefiava o Comando Operativo Conjunto, órgão que envolvia, para além do sector da Defesa, o SISE e o Ministério do Interior, que faria a coordenação.

Cipriano Mutota – arguido

O arguido disse ter estado em duas reuniões com Guebuza, na Presidência da República, onde o projecto foi abordado.

Segundo contou, o projecto teve momentos de indefinição no processo da aprovação pelas autoridades moçambicanas e foi daí que entraram em cena os lobistas do esquema, nomeadamente, Teófilo Nhangumele e Bruno Tandane, que chegaram a Ndambi Guebuza, filho do actual Chefe de Estado, para influenciar o pai, a agilizar as decisões.

Leia também: 

Juíz Efigénio Baptista critica arguidos que se fizeram a sala do julgamento sem uniforme da penitenciária

Facebook Comments

Tags:

Deixe um comentário aqui