NOVO FORNECEDOR DE CORRENTE ELÉCTRICA EM MOÇAMBIQUE

Caso haja algum investidor consciente, este pode ser o fim da EDM tal como foi o da MCEL, PETROMOC, FARMAC E TVM.

Moradores dos bairros da autarquia da Matola acusam a Eletricidade de Moçambique de estar muito cômodo e pedem um concorrente para a instituição por considera-lo incapaz de satisfazer as necessidades de todos os cidadãos.

Moçambique é um dos poucos países no continente africano que dispõe de uma Hidroelétrica, que por sua vez sustenta outros pontos como é exemplo disso a ÁFRICA DO SUL. Estranhamente o País citado tem corrente elétrica de alta potência e qualidade, contrariamente do que se constata no país de origem.

Em Maputo província, bairros como Muhalaze, Boquisso, Intaka 1 e 2 tem tido  um desenvolvimento lento por conta da ineficiência da EDM, situação que acaba levando os moradores arriscarem em ligações clandestinas, perigando assim as suas vidas e lesando a instituição fornecedora desse serviço que vezes sem conta emitem comunicados de imprensa onde são reportados altos valores monetários como perdidos por conta destas ligações clandestinas. Os mesmos moradores avançam que continuarão a usar os mesmos meios, por não haver outra solução.

Esses moradores contam que a corrente fruto de ligações clandestinas é de péssima potencia, visto que no período em que muitos usam em simultâneo há eletrodomésticos como congeladores que não suportam, mas, sustentam que é melhor que não ter nada. A mesma situação vem retraindo possíveis empreendedores e investidores nesses bairros. Contudo, não é só dor dos residentes da capital dos país, tem se visto também um pouco por todas regiões de Moçambique.

Facebook Comments

Tags:

Deixe um comentário aqui